Blog

Evy Jokhova | Within These Lines I Operate

A Foco Galeria apresenta ‘Within these lines I operate’, uma exposição individual site-specific da artista Evy Jokhova. Usando a grelha como uma estrutura conceptual para a interacção social e o papel das mulheres na arquitectura doméstica, Jokhova cria um local para reflexão e envolvimento que questiona a nossa compreensão do espaço e como os nossos corpos interagem dentro do ambiente doméstico.

O espaço da galeria é transformado numa experiência imersiva/atmosférica onde a artista cria uma linha de história e um jogo visual para o público desenhar suas próprias versões desta narrativa, adicionando as suas referências pessoais e arquétipos a ela. Construindo assim um sentimento e uma história comuns através de referências partilhadas e da disposição de um indivíduo em se envolver.

Desenhar referências oblíquas à arquitectura, ao trabalho das mulheres no ambiente doméstico e à memória corporal “Dentro destas linhas eu opero” abre um campo de investigação sobre como nos reunimos enquanto sociedade e sobre os símbolos partilhados que nos unem culturalmente. A exposição cria espaços que se sentem familiares, como uma casa, repleta de potencial de coletividade ou contemplação. Desta forma, a exposição evoca a nossa necessidade de uma narrativa social comum (rituais): terreno comum através do qual podemos encontrar formas de agir em conjunto ou responder uns aos outros.

A grade em si não é um lugar onde gostamos de nos render, mas é vista como um “lugar em toda parte” no reino humano. Cidades, padrões, a forma como nos organizamos no nosso mundo moderno, todos têm uma relação tangível com a grelha. Vivemos dentro das grades e interagimos com a estrutura ao longo da nossa vida, muitas vezes sem prestar qualquer atenção especial a isso. As grelhas moldam as nossas relações sociais, o nosso corpo, os nossos gestos e a forma como nos movemos no espaço.

Evy Jokhova cria uma atmosfera onde o público é encorajado a questionar estas linhas e formas, observar as conotações sociais que têm, sentir o lugar que podem ter na sua vida, e depois tentar render-se criando novos significados.

Texto de Aude Vignac

Evy Jokhova é uma artista multidisciplinar cuja prática está enraizada no diálogo entre antropologia social, arquitetura, filosofia e arte. Trabalhando com escultura, instalação, desenho, filme, performance e som numa base projecto a projecto, investiga a invenção da tradição e como a sociedade e o corpo podem ser alterados através da construção arquitectónica, com referência à questão ontológica pós-cartesiana do estar no espaço (M. Heidegger, J-L. Nancy, Ian James, M. Foucault) e à relação entre construção, corpo e mente (Bertrand Russell, Bill Hillier, Vitruvius). Os seus projectos são frequentemente apoiados por viagens, investigação, trabalho de campo antropológico e entrevistas.

Nascida na Suíça de pai russo e mãe estónia/dagestina, Jokhova cresceu em Viena, Áustria. Enquanto criança, passou uma quantidade significativa de tempo a viajar para ver a família na Estónia, na Rússia soviética e pós-soviética. Este fundo multicultural, a exposição a diversas estruturas sociais e políticas em alteração de estados de fluxo e estabilidade e as complexas relações entre o percebido, o imaginado e as normas aceites informam o seu trabalho. Os temas da coexistência humana e da cooperação também são frequentemente referidos.

https://evyjokhova.co.uk

Inauguração Quinta-Feira, 24 de Outubro de 2019, a partir das 19:00 com a performance da artista ballerina Patricia Keleher.

24 de Outubro 2019 | 29 de Novembro 2019
Terça-feira até Sexta feira: 14h-19h
Sábado: 14h-18h

____________________________________________________

Foco Gallery presents ‘Within these lines I operate’, a site-specific solo exhibition by the artist Evy Jokhova. Using the grid as a conceptual framework for social interaction and the role of women in domestic architecture Jokhova creates a site for reflection and engagement that questions our understanding of space and how our bodies interact within the domestic environment.

The gallery space is transformed into an immersive/atmospheric experience where the artist creates a story line and a visual game for the audience to draw their own versions of this narrative by adding their personal references and archetypes to it. Thus building a communal sentiment and history through shared references and an individual’s willingness to engage.

Drawing oblique references to architecture, women’s labour in the domestic environment, and body memory ‘Within these lines I operate’ opens a field of enquiry into how we gather as a society and the shared symbols that culturally bind us. The exhibition create spaces that feels familiar, like a home, rife with potential for collectivity or contemplation. In this way, the exhibition evokes our need for common social narrative (rituals): common ground through which we might find ways to act together or respond to each other.

The grid itself is not a place where you would like to surrender but is instead envisaged as an ‘everywhere’ in the human realm. Cities, patterns, the way we organise in our modern world, all have a tangible relation to the grid. We live inside grids and interact with the structure throughout our life often without paying any special notice of it. Grids shape our social relations, our body, gestures and the way we move within space.

Evy Jokhova creates an atmosphere where the audience is encouraged to question these lines and forms, observe the social connotations they have, sense the place they may have in their life, and then attempt to surrender by creating new meanings.

Text by Aude Vignac

Evy Jokhova is a multi-disciplinary artist whose practice is rooted in the dialogue between social anthropology, architecture, philosophy and art. Working with sculpture, installation, drawing, film, performance and sound on a project-by-project basis, she investigates the invention of tradition and how society and the body can be altered through architectural construction, with reference to the post-Cartesian ontological question of being in space (M. Heidegger, J-L. Nancy, Ian James, M. Foucault) and the relationship between building, body and mind (Bertrand Russell, Bill Hillier, Vitruvius). Her projects are often supported by travel, research, anthropological fieldwork and interviews.

Born in Switzerland to a Russian father and an Estonian/Dagestani mother, Jokhova grew up in Vienna, Austria. As a child she spent a significant amount of time traveling to see family in Estonia, Soviet and post-Soviet Russia. This multi-cultural background, exposure to diverse social and political structures in altering states of flux and stability and the complex relationships between the perceived, the imagined and the accepted norms inform her work. Themes of human co-existence and cooperation are also often referenced.

https://evyjokhova.co.uk

Opening Thursday, October 24th 2019, from 7pm with the performance of the artist dancer Patricia Keleher.

October 24th, 2019 | November 29th, 2019
Tuesday to Friday : 2pm-7pm
Saturday : 2pm-6pm