Blog

Carolina Serrano | Para Sempre Prestes A Terminar

carolina_serrano_mattia_tosti

A Galeria Foco apresenta ‘Para sempre prestes a terminar’, uma exposição individual da artista Carolina Serrano.
Curadoria de Mattia Tosti.

Para sempre prestes a terminar é a primeira exposição individual de Carolina Serrano na Galeria Foco. Nesta ocasião, a artista apresentará trabalhos recentes que interrogam sobre as várias formas de utilizar o tempo enquanto matéria escultórica, ao explorar as possibilidades teóricas, conceptuais e físicas da cera tingida de negro. Formada em Escultura, e trabalhando ocasionalmente através de outras disciplinas, Carolina Serrano concebe obras que, unidas por uma densa rede de metáforas, carregam o desejo de transcender o tempo cronológico, aparentando uma vulnerabilidade “corpória”, ao mesmo tempo que ecoam a condição mortal dos humanos e o seu desejo de eternidade.

Carolina Serrano (Funchal, 1994) reside e trabalha no concelho de Cascais. A sua prática artística desenvolve-se no campo da escultura e instalação. Fez a Licenciatura e o Mestrado em Escultura na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, bem como uma Pós-graduação em Curadoria de Arte na NOVA-FCSH. Através do seu trabalho explora, entre outros, a dimensão temporal da escultura, como também a dualidade entre espaço interior e exterior e entre vazio e cheio. Interessa-lhe o “lugar” inacessível e, por isso, desconhecido, bem como a indefinição, a dúvida, da extensão desse “lugar”. Interessa-lhe também a possibilidade material da sombra, e a possibilidade de transubstanciação do objecto escultórico. Nos últimos anos tem vindo a trabalhar quase exclusivamente com parafina tingida de negro, pelas suas possibilidades plásticas, mas, acima de tudo, pelas possibilidades teórico-conceptuais que este material pode originar no campo da imaginação do observador. Algumas das exposições em que participou são a GRÃO Residência artística de Investigação na Antiga Capitania do Museu de Aveiro (2020); a XV Edição do Prémio de Pintura e Escultura de Sintra D. Fernando II , no MU.SA- Museu das Artes de Sintra (2020); Estoutro no Espaço Cultural das Mercês (2019); Cascais é a nossa terra no Forte de Santo António da Barra (2019); 5o Bienal Internacional de Arte de Espinho, no FACE/ Museu de Espinho (2019); I will take the risk, no Tomaz Hipólito Studio, Lisboa (2019); De fio a pavio, de uma ponta à outra , Alcântara, com curadoria e produção de Coletivo Tarimba (2018); Singular Pace na Zet Gallery, Braga (2018); Esta casa já deu luz , Casa Plástica (antigo edifício EDP), no âmbito do Festival A Porta, Leiria (2018), Inside/Outsideno Palácio do Marquês de Pombal, Oeiras (2015); entre outras.

Mattia Tosti (1993,Roma,Itália) é curador e pesquisador licenciado em Política, Filosofia e Economia, pela Universidade LUISS Guido Carli de Roma. Em 2017, trabalhou como estagiário no MAC (Museu de Arte Contemporânea) de São Paulo, e em 2018 no MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia) de Lisboa. Em 2019, curou a exposição “Don’t Believe in Modern Love” de Lucrezia de Fazio na Rua das Gaivotas 6, Lisboa. Atualmente cursa o último semestre no Mestrado em Estudos de Cultura na Universidade Católica Portuguesa e trabalha na Galeria Monitor, Lisboa.

Inauguração Quinta-Feira, 06 de Fevereiro de 2020, a partir das 19:00.

07 de Fevereiro 2020 | 22 de Fevereiro 2020
Terça-feira até Sexta feira: 14h-19h
Sábado: 14h-18h 

FOCO
Rua da Alegria, 34
1250-007 Lisboa

_______________________________________________________________________

Foco Gallery presents ‘Forever about to end’, a solo show by the artist Carolina Serrano. Curated by Mattia Tosti.

Forever about to end is Carolina Serrano’s debut solo exhibition with Foco Gallery. For this occasion, the artist will present a body of recent artworks that inquiry about the possible ways to use time as matter by exploring the theoretical,conceptual and material possibilities of black coloured wax. Trained in sculpture, and occasionally working with different media, Carolina Serrano creates artworks that, united by a dense network of metaphors, carry within an aspiration to transcend chronological time and a “corporeal” vulnerability to it, echoing the mortal condition of humans and our desire of eternity.

Carolina Serrano (Funchal, 1994) lives and works in Cascais. Her artistic practice develops in the field of sculpture and installation art. She made her BA and MA in Sculpture at the Faculty of Fine Arts of the University of Lisbon as well as a post-graduation in Art Curatorship at NOVA- FCSH. Through her work the artist explores, among others, the temporal dimension of Sculpture, as well as the duality between interior and exterior and between full and empty space. She is interested in the concept of the restricted, inaccessible and therefore unknown“place”, and also in the uncertainty, the doubt, of the extent of that “place”.She is also interested in the possibility of the materialization of the shadow; and in the transsubstantial possibility of the sculptural object. In recent years she has been working almost exclusively with paraffin wax dyed black because of its plastic possibilities but, above all, by the theoretical and conceptual possibilities that this material can originate in the field of the observer’s imagination. Some of the ehxibitions that she has been apart of are GRÃO Residência artística de Investigação in the Former Captaincy of the Museum of Aveiro (2020); the XV Edition of the Sintra D.Fernando II Painting and Sculpture Award, at MU.SA- Museum of the Arts of Sintra (2020); Estoutro at Mercês Cultural Space (2019);Cascais é a nossa terra at the Santo António da Barra Fort (2019); 5th International Bienal of Art of Espinho, at FACE/ Espinho Museum (2019); I will take the risk, at Tomaz Hipólito Studio, Lisboa (2019); De fio a pavio, de uma ponta à outra, Alcântara, curated and produced by Coletivo Tarimba (2018); Singular Pace at Zet Gallery, Braga (2018); Esta casa já deu luz , Casa Plástica (old EDP building), at A Porta Festival, Leiria (2018), Inside/Outside at Marquês de Pombal Palace, Oeiras (2015); among others.

Mattia Tosti (1993, Rome, Italy) is a curator and researcher graduated in Politics, Philosophy and Economics at LUISS Guido Carli, Rome (2012-2016). In 2017, he has worked as an intern at the MAC (Museu de Arte Contemporânea) in São Paulo and in 2018 at MAAT (Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia), in Lisbon. In 2019 he has curated the exhibition “Don’t Believe in Modern Love” by Lucrezia de Fazio at Rua das Gaivotas 6. He is currently at the final year of a MA in Culture Studies at UCP while working at Monitor Lisbon.

Opening Thursday, February 06th 2020, from 7pm.

January 07th, 2020 | February 22th, 2020
Tuesday to Friday : 2pm-7pm
Saturday : 2pm-6pm

FOCO
Rua da Alegria, 34
1250-007 Lisboa