Blog

Mia Dudek | Feelers

mia_dudek_galeria_foco_feelers_kasia_sobczak

A Galeria Foco apresenta “Feelers”, uma exposição individual da artista Mia Dudek. Com a curadoria de Kasia Sobczak.

A prática de Dudek é influenciada por uma arquitectura habitacional brutalista e pelos fenómenos globais de urbanização. O seu trabalho investiga a tensão e as interligações entre estas formas arquitectónicas e o corpo humano. Dudek examina a noção de desprendimento do corpo da estrutura dada e procura novos meios de representação visual e física da existência humana.

A exposição visa observar o derrame sobre os limites da existência corporal e a liminaridade tanto do mundo sensorial como arquitectónico. A narrativa central da exposição é a condição humana e o equilíbrio constante da urbanização brutal sempre a crescer contra o corpo frágil e cedente. O jogo de palavras de “feeler” – um órgão animal como uma antena que é utilizada para testar coisas pelo tacto; e “filler” – uma coisa colocada num espaço ou recipiente para o encher, é fisicamente articulado pela seleção de obras. Na Galeria Foco Dudek cria um ambiente sensorial com a fluidez de formatos entre a fotografia tradicional de estúdio, imagens de estruturas de habitação e objetos independentes feitos de betão, silicone e látex.

A nova série de fotografias tiradas em Lisboa – Inhabited – retrata as condições de vida. Chama a nossa atenção para as fissuras e círculos visíveis, janelas, estruturas de betão utilizadas para encher os poros e grãos, a insuficiência de determinado espaço para os seres humanos, a perigosidade e a sua banalidade. A série -Fruiting Body- está em oposição. As formas apresentadas são fluidas, naturais e com várias camadas. É um corpo que se acumula como um parasita, vivendo em função da sua base, que define o seu ser. As séries unificadoras de ambas as estruturas são, de alguma forma, objectos colocados na galeria em conformidade. Composições moldadas em materiais sintéticos utilizados para cobrir ou preencher a lacuna, ressoam a tangibilidade do espaço e do corpo de obras de Dudek, abordando a ideia de proximidade.

‘Feelers’ tende a experimentar uma poética física e uma experiência sinestésica. A exposição tem as suas raízes na mitologia do desempenho humano, incorporando elementos e estruturas antropomórficas. O artista utiliza consciente e repetitivamente meios e materiais, que provocam questões sobre os seus estados metafísicas. Através da vacilação entre a estrutura humana e a estrutura material, Dudek constrói a história contínua do que é transmitido e do que possivelmente poderia ser redefinido.

Texto de Kasia Sobczak

Apoiado pela Embaixada da Polónia em Lisboa

Biografia:
Mia Dudek é uma artista polaca, que trabalha entre Londres, Lisboa e Varsóvia. Dudek licenciou- se no London College of Communication em 2012 e em 2016 concluiu o seu mestrado no Royal College of Art, Londres, como bolseira do Leverhulme Scholarship Award pelo seu portfólio distinto. Actualmente está a fazer o seu doutoramento na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (FBAUL).
O trabalho de Dudek tem sido apresentado em várias exposições por toda a Europa, bem como em publicações, incluindo Source Magazine, LYNX Contemporary e 24 Artists to Watch by Modern Painters, Dezembro de 2014. Em 2018 recebeu o Prémio Especial Anamorfose do Júri pelo seu livro auto-publicado MDAM, que se encontra agora na colecção da Biblioteca do MoMA em Nova Iorque. Em Maio de 2019, Artforum escolheu no “Critic’s Pick” a sua exposição Marsyas na Galerist, Istambul com curadoria de Nick Hackworth.

Inauguração 10 de Outubro 2020 das 14h até as 20h

10 de Outubro 2020 | 07 de Novembro 2020
Terça-feira até Sexta feira: 14h-19h
Sábado: 14h-18h

Mais Informações: www.focolisboa.com

Galeria Foco
Rua da Alegria, 34
1250-007 Lisboa


Foco Gallery presents ‘Feelers’, a solo exhibition by the artist Mia Dudek. Curated by Kasia Sobczak.

Dudek’s practise is influenced by brutalist housing architecture and the global phenomena of urbanization. Her work investigates the tension and interconnections between these architectural forms and the human body. Dudek examines the notion of detaching body from the given structure and seeks new means of visual and physical representations of human existence.

The exhibition aims to observe the spilling over the boundaries of bodily existence and the liminality of both sensorial and architectural worlds. The central narrative of the exhibition is the human condition and the constant balancing of the ever advancing brutal urbanisation against the fragile and yielding body. The wordplay of feeler – an animal organ such as an antenna that is used for testing things by touch; and filler – a thing put in a space or container to fill it, is physically articulated by the selection of artworks. At Galeria Foco Dudek creates a sensorial environment with the fluidity of formats between traditional studio photography, images of site-specific housing structures and freestanding objects made of concrete, silicon and latex.

The new series of photographs shot in Lisbon – Inhabited – depicts the living conditions. Our attention is drawn to the visible cracks and circles, windows, structures of concrete used to fill the pores and grain, the insufficiency of given space for humans, the dailiness and its banality. The Fruiting Body series stands in opposition. The forms presented are fluid, natural and multilayered. It’s a body that accrues as a parasite, living depending on its base, which defines its being. The somehow unifying series of both structures are objects placed in the gallery accordingly. Compositions molded in synthetic materials used to cover or fill the gap, resonate the tangibility of the space and Dudek’s body of works, addressing the idea of proximity.
‘Feelers’ tends to undergo physical poetics and synesthetic experience. The show is rooted in the mythology of human performance by incorporating anthropomorphic elements and structures. The artist consciously and repetitively uses mediums and materials, which provoke questions of their metaphysical states. Through vacillating between the human and the material structure Dudek constructs the ongoing story of what is imparted and what possibly could be redefined.

Text by Kasia Sobczak

Supported by Polish Embassy of Lisbon

Biography:

Mia Dudek is a Polish artist, working between London, Lisbon and Warsaw. Dudek graduated from the London College of Communication in 2012 and in 2016 completed her MA at the Royal College of Art, London, as a recipient of a Leverhulme Scholarship Award for her distinctive portfolio. She is currently doing her PhD in Faculty of Fine Arts of the University of Lisbon (FBAUL).

Dudek’s work has been featured in a number of exhibitions around Europe as well as in publications, including Source Magazine, LYNX Contemporary and 24 Artists to Watch by Modern Painters, December 2014. In 2018 she has received the Special Jury Anamorphosis Prize for her self-published book MDAM, which is now in MoMA Library Collection in New York. In May 2019 Art Forum has features in Critic’s Pick for her Marsyas show in Galerist, Istanbul curated by Nick Hackworth.

Opening Saturday, October 10th 2020, from 2pm to 8pm

October 10th, 2020 | November 07th, 2020
Tuesday to Friday : 2pm-7pm
Saturday : 2pm-6pm

More informations: www.focolisboa.com

Foco Gallery
Rua da Alegria, 34
1250-007 Lisbon